fevereiro 2013
 

Na falta do metrô, o BRT.

 

Atualmente existem 113 projetos para implantação do sistema BRT (bus rapid transit) em 25 cidades brasileiras. Juntos totalizarão 1.200 km de corredores exclusivos até 2016, de acordo com a Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU).

O principal motivo para o BRT ter caído na graça do poder público está relacionado, principalmente, ao custo e tempo de implantação. O BRT chega a custar 10 vezes menos que o metrô. Embora mais barato e de execução mais rápida, o BRT não está livre de problemas. "O primeiro desafio é a decisão política, pois as cidades terão que tirar o espaço do automóvel. Outro entrave são as desapropriações", relata Otávio Cunha, presidente executivo da NTU.

O BRT inspira-se no metrô para tornar o transporte por ônibus mais eficiente. Os pontos de embarque dão lugar a estações confortáveis, onde o passageiro pode conferir quantos minutos faltam para seu ônibus chegar. O pagamento do bilhete ocorre dentro da própria estação e o embarque é feito no mesmo nível do veículo, sem qualquer degrau. Os ônibus especialmente preparados para o sistema, trafegam em corredores segregados das pistas de carros, agilizando o deslocamento.

Em quatro anos o sistema deverá transportar 16 milhões de passageiros por dia no país. Oito, das doze, cidades sedes da Copa adotaram o BRT como opção de transporte público para atender a demanda durante e após o campeonato mundial de futebol.

 
 
 

Design para a coletividade.

 

Em Belo Horizonte, a meta é começar a operar o sistema no fim deste ano, gradativamente, tirando 640 ônibus de circulação do hipercentro e reduzindo pela metade o tempo das viagens. O objetivo em BH é transportar cerca de 700 mil passageiros por dia nos 26 km de corredores, sendo 16 km nas avenidas Antônio Carlos, Pedro I e Vilarinho, 5 km na avenida Cristiano Machado e 5 km na área central, operando com veículos com capacidade para transportar cerca de 140 passageiros, com acessibilidade e espaço para bicicletas.

O BRT de Belo Horizonte vem sendo considerado por especialistas como um dos mais complexos e completos do Brasil. O sistema integrará diferentes modais (ônibus, trem e bicicletas) de forma bastante capilarizada. Para isso, alguns veículos serão adaptados para percorrerem tanto os corredores exclusivos quanto as avenidas consideradas comuns. Sob a orientação da Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte (BHTrans) a VERDI está desenvolvendo a marca e o sistema de sinalização do BRT mineiro.

A divulgação da marca será no próximo mês de março, assim como a apresentação para a imprensa da estação protótipo devidamente sinalizada.

 
 
www.verdi.com.br
 

Se você não está visualizando corretamente esse e-mail, acesse aqui.
Você está recebendo este email por estar cadastrado no mailing da Verdi.